Orquestra Tabajara celebra 75 anos em bailes no Iate e na AABB

Por Correio Braziliense - postado em 29/08/2019 06:30

Tudo começou na Rádio Tabajara, criada por Assis Chateaubriand em João Pessoa na década de 1930. Uma das atrações da emissora dos Diários Associadas era a orquestra, que tinha como um dos integrantes o saxofonista Severino Araújo. O talento exibido pelo músico logo o levou a ser escolhido para reger o grupo.


A orquestra, com o nome de Jazz Tabajara, se tornou conhecida nacionalmente por acompanhar famosos cantores e cantoras da era de ouro do rádio, como Francisco Alves, Orlando Silva, Carlos Galhardo, Jorge Goulart, Emilinha, Marlene e as irmãs Dircinha e Linda Batista. Nos anos 1940, em excursão pelo Nordeste, iam com alguma frequência à capital paraibana para fazer shows.


Por conta disso, Severino, responsável também pelos arranjos das músicas interpretadas por esses artistas, foi convidado por Chateaubriand para integrar o elenco da Rádio Tupi, no Rio de Janeiro, onde chegou em 1944. Lá, criou a Orquestra Tabajara, que estreou um ano depois, entrando para a história da música popular brasileira. Ao longo da carreira, lançou 18 discos e, entre as músicas de autoria do maestro, a de maior sucesso é o choro Espinha de bacalhau.


Com passagem por Brasília em várias oportunidades, a Tabajara está de volta à capital, quando celebra ; impressionantes ; 75 anos de trajetória artística, agora sob a batuta do maestro Francisco Araújo, filho do lendário Severino Araújo. Convidado do projeto Venha Dançar, iniciativa do produtor cultural Dilmar Mattos, o grupo, neste fim de semana, anima dois bailes em clima de anos dourados: o primeiro amanhã, na AABB; e o outro sábado, no Iate Clube. Ambos têm início às 21h.

0 visualização0 comentário